Central de atendimento (21) 3850-5900 (21) 2556-5541 (21) 2557-4038 (21) 2557-4731
As Diferenças Entre Crise Alérgica E Doenças Virais

As diferenças entre crise alérgica e doenças virais

Já falamos aqui no blog do Neurolife sobre como doenças respiratórias, com diferentes causas, apresentam sintomas muito parecidos. O cardápio de males que atacam o sistema respiratório, especialmente no inverno, ganhou um importante ingrediente desde o ano passado, com a pandemia da COVID-19, provocada pelo vírus SARS-CoV-2 e suas variantes.

Os causadores das doenças respiratórias mais graves, de modo geral, são os vírus e as bactérias. É o vírus Influenza que causa a gripe; o rinovírus, o parainfluenza e o vírus sincicial respiratório provocam os resfriados; as bactérias Streptococcus pneumoniae (também conhecida como pneumococo), Mycoplasma pneumoniae e Haemophilus influenzae causam a pneumonia – principal causa de morte de crianças no Brasil.

O Haemophilus influenzae pode  provocar também a sinusite, infecção das vias áreas superiores que é a quinta causa mais frequente de uso de antibióticos em todo o mundo.

De olho no termômetro

Mas há ainda um problema bastante comum no inverno, que gera um grande incômodo e que muitas vezes é confundido com gripes e resfriados: a rinite alérgica.

Neste ano, a Asbai (Associação Brasileira de Alergia e Imunologia) divulgou um alerta para que a população saiba identificar corretamente essas doenças. E a primeira dica é bem básica, mas muito importante: alergias, geralmente, não provocam febre.

De acordo com a Asbai, como a estação tem por característica a variação entre tempo seco e úmido, as pessoas podem sentir obstrução nasal, coceiras no nariz, ouvido e garganta, ter mais tosse, espirros, coriza e até falta de ar. E é aí que muitas dúvidas surgem, afinal, todos esses são sintomas frequentes nas síndromes gripais.

A associação lembra também que rinite e asma são as doenças mais comuns nessa época do ano, pois umidade ou ar seco e frio podem irritar as vias respiratórias. A rinite é a inflamação da mucosa nasal, podendo acontecer nas formas aguda, crônica, infecciosa e alérgica. Os casos agudos, em sua maioria, são causados por vírus.

Os casos crônicos e recorrentes geralmente são fruto da rinite alérgica, aquela relacionada à exposição a substâncias que provocam a reação alérgica no indivíduo – sendo as mais comuns os ácaros presentes na poeira, pólen, fungos, urina e saliva de animais como cães e gatos.

O que fazer?

Em caso de crises de asma e rinite, procure o seu médico de família ou especialista e siga exatamente o que ele prescrever.

Em alguns casos, podem ser receitados medicamentos como anti-histamínicos, descongestionantes, broncodilatadores e corticosteróides. Porém, esta decisão deve ser tomada pelo seu médico.

Há também uma série de medidas preventivas, que todos os alérgicos conhecem de cor:

  • Evite o uso de materiais que podem servir para o acúmulo de ácaros, como carpetes, tapetes, cobertores com pelos e cortinas;
  • Mantenha o ambiente arejado, com janelas abertas mesmo quando estiver frio, na medida do possível;
  • Evite fazer a limpeza dos ambientes com vassoura para evitar a movimentação da poeira, que tem grande concentração de ácaros. Prefira aspirador de pó e panos úmidos;
  • Se tiver condições, utilize purificadores de ar para eliminar ácaros e capas para colchão e travesseiros feitos com materiais antialérgicos.

Leve o diagnóstico a sério

Diante de sintomas parecidos e tantos agentes causadores diferentes, um diagnóstico preciso é essencial. O Neurolife, no Rio de Janeiro, já conta com uma solução que identifica 24 agentes infecciosos causadores de doenças respiratórias: o PCR Painel Respiratório. Os resultados saem em até 24 horas.

Os 24 agentes identificados pelo PCR Painel Respiratório são: Adenovírus, Bocavírus, Coronavírus SARS-CoV-2, Coronavírus SARS, Coronavírus 229E, Coronavírus HKU-1, Coronavírus OC43, Coronavírus NL63, Enterovírus, Metapneumovírus, Rinovírus, Vírus Influenza A, Vírus Influenza A – subtipo H3, Vírus Influenza A – subtipo H1N1, Vírus Influenza B, Vírus Parainflunenza 1, Vírus Parainfluenza 2, Vírus Parainfluenza 3, Vírus Parainfluenza 4, Vírus Sincicial Respiratório – subtipo A, Vírus Sincicial Respiratório – subtipo B, Bordetella pertussis, Bordetella parapertussis e Mycoplasma pneumoniae.

O diagnóstico etiológico preciso orienta as medidas de precaução de contato e as estratégias de tratamento, a fim de auxiliar o médico no diagnóstico clínico.

Se você se interessou pelo PCR Painel Respiratório, entre em contato com nossa equipe ou acesse nossa biblioteca de conteúdo para mais informações.

Back To Top
Olá! Precisa de ajuda?