Central de atendimento (21) 3850-5900 (21) 2556-5541 (21) 2557-4038 (21) 2557-4731
Variáveis Pré-analíticas E A Garantia Da Qualidade Para O Diagnóstico Da COVID-19

Variáveis pré-analíticas e a garantia da qualidade para o diagnóstico da COVID-19

Nosso Departamento de Controle de Qualidade preparou um conteúdo para mostrar os procedimentos que devem ser seguidos para o sucesso da análise de material coletado para diagnóstico da COVID-19 por meio do RT-PCR.

Acompanhe:

A fase pré-análise laboratorial

A fase pré-analítica do exame laboratorial corresponde à etapa que antecede a análise propriamente dita. Engloba todos os processos e procedimentos extra e intralaboratoriais. Como exemplos: solicitação do exame, indicação clínica, orientações ao paciente, coleta, uso de medicamentos, dieta, a identificação e o transporte da amostra (armazenamento/ acondicionamento).

Estudos apontam o conjunto dessas variáveis pré-analíticas como o responsável pela maioria dos erros laboratoriais. Isso devido à dificuldade no controle das variáveis extra laboratoriais e atividades não automatizadas.

Para a detecção do SARS-CoV-2, o transporte da amostra é considerado como um processo crítico, e critério de rejeição para amostras de swab nasofaríngeo, cuja a estabilidade da amostra esteja comprometida.

A pandemia da COVID-19

O novo coronavírus SARS-CoV-2 (Síndrome Respiratória Aguda Grave) é o vírus causador da doença COVID-19 (doença do coronavírus 2019), assim denominada devido à confirmação da sua descoberta em 31 de dezembro de 2019, na China.

O combate ao SARS-CoV-2 tornou-se um desafio mundial. As barreiras sanitárias como o uso de máscaras faciais, higienização das mãos e mitigação de aglomerações apresentaram-se como armas para evitar a disseminação do vírus. O teste da reação em cadeia da polimerase em tempo real (RT-PCR) confere o diagnóstico rápido e preciso da doença, sendo considerado o padrão ouro para o diagnóstico da COVID-19.

O SARS-CoV-2 – armazenamento e acondicionamento da amostra de swab nasofaríngeo: transporte da amostra

Constituído de RNA, com fita simples, e tal como os demais vírus RNA, o SARS-CoV-2 é suscetível à rápida degradação quando não conservado em temperatura refrigerada. Orienta-se o armazenamento das amostras de swab nasofaríngeo em temperatura na faixa entre 2°C e 8°C.

As mesmas devem ser acondicionadas em tubos de transporte com 3 ml de solução salina. Em adição, os tubos devem ser transportados em posição vertical, em saco inviolável com manta absorvente e acompanhados da declaração de conteúdo devidamente preenchida com assinatura e carimbo de profissional capacitado.

O descumprimento desses requisitos pré-analíticos poderá comprometer e prejudicar a qualidade da análise da amostra, impactar no resultado, gerar recoleta e custos adicionais.

Bibliografia

GUIMARÃES, A. C. et al. O laboratório clínico e os erros pré- analíticos. Revista do Hospital de Clínicas de Porto Alegre, Porto Alegre, v. 31, n. 1, p. 66-72, 2011.

https://pebmed.com.br/covid-19-milhares-de-amostras-estao-armazenadas-de-maneira-inadequada-em-sp/ consulta em 23/02/2021 às 19:45h.

 

Back To Top